Segurança Pública é tema de Fórum

O Município de Ivoti deve iniciar o processo de implementação de um sistema de videomonitoramento já no primeiro semestre de 2014. Esta e outras novidades foram debatidas durante do IV Fórum Municipal de Segurança Pública, na noite desta segunda-feira, 16 de dezembro. Moradores, autoridades e entidades ligadas ao tema participaram da atividade. Na retomada do evento, que não era realizado desde 2003, a instalação de câmeras de segurança em pontos estratégicos da cidade e a atuação da polícia no combate ao consumo de drogas foram alguns dos assuntos mais abordados.

 

Inicialmente, cada autoridade convidada retratou contexto da segurança pública em sua área de atuação. O presidente do Consepro de Ivoti, Antônio Louiz, destacou que os problemas podem ser solucionados através de um trabalho coletivo. “A segurança pública feita por uma pessoa só não funciona”, resumiu. Segundo a falar, o promotor de Justiça de Ivoti, Charles Emil Machado Martins, continuou com uma explanação parecida: “nós precisamos mudar de ponto de vista e nosso modo de proceder”. Ele enfatizou que, em geral, não existem grandes investimentos no setor de segurança e que Ivoti está abrindo uma oportunidade para que a população participe ativamente deste processo.

 

Na sequência, o delegado Ranolfo Vieira Junior, chefe da Polícia Civil do Estado, apresentou um panorama da entidade, mostrando que o grande problema ainda é o efetivo. Conforme o delegado, em 1980 existiam cerca de 6 mil policiais no Estado, para uma população de 7 milhões de pessoas. Este ano, são 11 milhões de habitantes e um efetivo de cerca de 5.800 policiais. Mesmo assim, Ivoti possui um cenário relativamente tranquilo: em 2011 e 2012 não aconteceram homicídios no município e desde lá não há uma alta expressiva no número de crimes contra o patrimônio. “Com ações como este fórum, Ivoti conseguirá manter níveis aceitáveis e até diminuir estes índices”, frisou o delegado.

 

Comandante do 32º Batalhão de Polícia Militar, o major Marcelo Fraga Carpes também falou sobre efetivo e trouxe um dado importante da região: “o vale do Rio dos Sinos possui 85% de disponibilidade de efetivo, um dos menores indicadores de falta de policiais”. O major também lembrou da importância de registrar ocorrências, por menor que seja o problema. “O registro é o principal indicador de segurança”, sublinhou.

 

Finalizando as falas das autoridades, o prefeito Arnaldo Kney lembrou dos tempos em que não existiam muros altos nas casas e destacou que muitas famílias de fora procuram Ivoti por conta da qualidade de vida. Mesmo assim, conforme o prefeito, estamos em uma nova realidade, em que não podemos nos acomodar. Arnaldo reforçou a ideia de um trabalho conjunto entre a comunidade e o poder público municipal, salientando que organizar uma guarda comunitária pode ser uma alternativa.

 

Passada a primeira parte, a comunidade se reuniu em grupos, definidos por bairros. Cada equipe pôde elaborar três perguntas, que foram respondidas pelas autoridades. Questionado sobre o monitoramento por vídeo, o prefeito Arnaldo relatou que a recente troca da folha de pagamento municipal para a Caixa Econômica Federal vai gerar 400 mil reais de aporte de receita para a prefeitura e esta verba será utilizada em segurança pública. Por este motivo, já no primeiro semestre do ano que vem começará o trabalho para implantar câmeras em pontos estratégicos de Ivoti.

 

A previsão é de que o Fórum de Segurança Pública de Ivoti seja realizado anualmente.

Compartilhar :

Vejas Outras Notícias