EDUCAÇÃO 110 questões e 10h54 minutos de imersão: 26 alunos e 8 profissionais da EMEF Ildo Meneghetti garantem o 7º lugar no Brasil

 

Com 513 turmas inscritas, escola é destaque gaúcho no Desafio Nacional Acadêmico (DNA)

Ivoti – Ao saber de todo processo envolvido para garantir a 7ª posição no Brasil e o 1º lugar no Rio Grande do Sul no Desafio Nacional Acadêmico (DNA), a prefeita Maria de Lourdes Bauermann e a secretária de Educação e Cultura, Cristiane Spohr, eram só elogios. A EMEF Ildo Meneghetti se inscreveu – pelo 10º ano - no site que propõe anualmente um jogo virtual com perguntas organizadas em 11 categorias. Foram 513 turmas no Brasil inteiro participando da competição. Por dois sábados consecutivos, 26 alunos e 8 profissionais responderem a 110 questões de conhecimentos gerais durante 10h54 minutos, das 9h às 19h do dia 20, e das 9h às 9h54 do dia 27. “A escola está de parabéns. Ficamos muito contentes com todo esse engajamento”, afirmou Maria de Lourdes.

Nesta quarta-feira, dia 31, Maria de Lourdes e Cristiane estiveram reunidas com os 5 alunos representantes do grupo “Bolchevildos”: Lediane Regina Schütz, Wilian Horn Kayser, Gustavo Henrique Kornélius, Rafael Soares Baierli e Thiago Butinger, do 9º ano. A vice-diretora Juliana Petry contou que o concurso é algo que já está incorporado no calendário da escola e ao longo destes anos, a escola vem participando e ganhando experiência: já conquistaram o 15º, o 12º e agora, o 7º lugar no Brasil.

A última questão foi decisiva: o enigma foi respondido em 54 minutos. A turma que ficou em 1º lugar, porém, respondeu em 21 minutos. “Começamos quando a internet era lenta, tínhamos que sair da escola para pedir ajuda. Hoje, a pesquisa na internet e o whatsapp facilitam a dinâmica”, descreve. O diretor Ricardo Martini comenta a importância do trabalho em equipe e da formação que o grupo vem tendo através de conceitos como o de cooperativismo.

Uma das questões de maior tensão foi relacionada ao desafio em inglês, gravado em áudio. “Era necessário transcrever o questionamento e responder em 59 caracteres”, exemplifica Juliana. No dia do desafio, todos se reuniram no laboratório de informática da escola, fazendo escalas para garantir o cumprimento das tarefas. Cada um tinha uma função: um compartilhava a pergunta para o grupo e cada um ia fazendo buscas em sites, livros e todo acervo disponível. Com toda a dinâmica, o grupo considerou a experiência muito divertida. Alguns deles, como Rafael, chegou a treinar diariamente.

O professor de História Marcelo de Vargas, além dos estagiários de Informática, Mateus Patz e Ricardo Ozório de Souza, a profissional do Programa Mais Educação, Micheli Kuhn Rohleder, o secretário escolar Fábio Brum e a professora aposentada Maria Helena Erig e a vice diretora da Educação de Jovens e Adultos, Marlise Pires de Arruda estiveram engajados no desafio.

A secretária de Educação, destacou o desempenho e a dedicação do grupo. “E só podemos agradecer por elevarem o nome do município”, falou. Cristiane também chamou a atenção para o interesse e a participação dos profissionais da escola. “Sabemos o quanto esta experiência é importante para toda a rede”, concluiu Cristiane Spohr.

 

Compartilhar :

Vejas Outras Notícias